A utilização dos meios digitais para divulgação do conhecimento é uma prática adquirida nas melhores universidades e instituições. Em paralelo, a opção por portefólios construídos colaborativamente ganha destaque no âmbito das boas práticas pedagógicas e de desenvolvimento das aprendizagens.

Porém, é importante não perder de vista o facto do portefólio implicar reflexão crítica sobre o tema em análise, extravasando o simples compilação de trabalhos.

Neste âmbito, e além do portefólio desenvolvido no âmbito da formação Sere divulgado em mensagem anterior, partilho a ligação para dois trabalhos sobre Educação Especial, onde se pode distinguir estas duas vertentes:

-Portefólio sobre Intervenção Precoce https://sites.google.com/site/intervencaop/;

– Compilação de informações sobre Síndrome de Asperger https://sites.google.com/site/portefoliosindromeasperger/.

 

Recentemente, em contexto de formação, tive a oportunidade de utilizar o Coursewere SeRe.

O SeRe é um recurso pago, desenvolvido pela Ludomédia e pela Universidade de Aveiro, com qualidade cientifica e pedagógica garantida. Os guiões de utilização permitem uma orientação e um planeamento pré-definido, que pode ser alterado e adaptado à realidade de cada turma. É dado privilégio à apredizagem por pesquisa, permitindo incluir o SeRe em metodologias mais ativas, como o Movimento Escola Moderna, por exemplo.

É sem sombra de dúvidas um excelente recurso para a abordagem da Educação para o Desenvolvimento Sustentável e para apoiar o cumprimento das Metas de Aprendizagem relacionadas com este tema.

A descrição do produto pode ser consultada em http://www.ludomedia.pt/sere/sere.php

Cadernos SACAUSEF VI

Posted: Fevereiro 11, 2012 in Educação Especial, RED
Etiquetas:

Foi publicado recentemente um novo caderno SACAUSEF (http://erte.dgidc.min-edu.pt/index.php?section=400&module=navigationmodule), com enfoque nos Recursos Educativos Digitais dedicados às necessidades educativas especiais. Pela pertinência dos temas abordados, é uma publicação a ter em conta.

O Recurso Educativo Digital (RED) Site do Topas, disponibilizado pela empresa Águas do Douro e Paiva (ADP) é um sítio autónomo, que pretende sistematizar informação acerca da água (poupança, ciclo e tratamento). Está disponível em linha no endereço http://www.addp.pt/topas/intro.htm e pode ser acedido através da página eletrónica da empresa através do separador “Educação Ambiental”.
Também promovido pela ADP, com a mesma mascote mas com grafismo mais recente, existe outro RED que pode servir como complemento ao Site do Topas, uma vez que se baseia apenas em jogos sobre a água. Está disponível em http://www.aguaonline.net/jogos/jogo.html, e pode ser acedido através de um ícone identificativo na página “água online” (http://www.aguaonline.net/).
Ambos requerem Flash Player instalado no programa de acesso à web.

Domínio técnico
Centrando-nos apenas no “Site do Topas”, podemos referir que tem um design muito atrativo, com cores, formas e animações adequadas a uma faixa etária situada entre os 8 e os 12 anos. O interface tem boa resolução gráfica e é distinto em cada um dos separadores. Registamos que nalguns casos as caixas de texto disponibilizadas não aglutinam toda a informação dentro da mesma mancha gráfica, o que dificulta a leitura. Globalmente, o tamanho da letra e as cores utilizadas são adequadas.
A navegação faz-se ao ritmo que o utilizador desejar. Centra-se em menus laterais, onde é possível voltar sempre que se desejar. Pode-se retroceder e avançar para o separador/temática que se desejar, em qualquer momento, mas não existe indicação do separador/sub-separador em que nos situamos.
A informação é disponibilizada maioritariamente em texto, sem áudio auxiliar, o que representa um fator negativo quanto à acessibilidade. Apenas no separador “Mediateca”, baseado em recursos vídeo, é utilizado áudio como meio de transmitir a informação. Outra limitação prende-se com a impossibilidade de pesquisar ou exportar qualquer tipo de informação.
Ficheiros de ajuda ou ajuda em linha ao utilizador são inexistentes.

Domínio do Conteúdo
O RED mantém rigor científico ao longo das várias partes, utilizando termos adequados e linguagem facilmente reconhecida pelos profissionais do ensino.
Está organizado de acordo com temas específicos. No primeiro separador – “Água dia-a-dia”, são disponibilizados alguns conselhos de poupança da água. No segundo, “Ciclo da água”, cada etapa é legendada à medida que se passa o rato por cima das palavras existentes. O terceiro, “Tratamento da água”, surge na lógica do anterior e o esquema é legendado com informação acerca das várias etapas do tratamento da água para consumo e da água residual. O quarto separador, “Reciclagem”, presta informação acerca de como separar os resíduos por cada contentor. O quinto, “Jogos e passatempos”, disponibiliza três atividades lúdicas simples sem que haja forma de testar os conhecimentos. O último ponto, “Mediateca”, disponibiliza três vídeos sobre a temática.
Apesar da data de publicação do recurso não ser acessível, deteta-se alguma falta de atualidade na informação disponível no separador “Reciclagem”, pois são referidos alguns resíduos que atualmente se separam de outro modo.
Os conteúdos podem ser utilizados como abordagem de temas desde o 3.º ao 6 .º ano, no contexto de Estudo do Meio ou Ciências da Natureza.

Domínio Pedagógico
Este é um recurso que, essencialmente, disponibiliza informação, sem que haja uma interação significativa com o utilizador, por isso os objetivos de aprendizagem não são claros mas subjugam-se à lógica da baixa interação.
Por ser fácil aceder aos conteúdos sem um caminho definido, existem possibilidades de integração curricular se o RED for utilizado, sobretudo, como fonte de informação e consulta dos gráficos, textos e esquemas. Será assim possível organizar percursos de aprendizagem, mas estes terão de ser traçados na sala de aula pelos docentes. Não há por isso uma definição de qual deve ser o papel dos professores ou dos alunos aquando da utilização do RED.

Domínio Linguístico
Há correção linguística e clareza no discurso, mas nem sempre a linguagem utilizada é a mais adequada a crianças do 1.º ciclo. O que de destaca sobretudo quando se aborda o tratamento da água, com todos os termos técnicos presentes. Contudo, acreditamos que serão conceitos que podem ser abordados com a ajuda dos professores, através de explicações e consulta de dicionário.

Domínio dos Valores e Atitudes
Existe equilíbrio entre feminino e masculino. A mascote utilizada no recurso, o Topas, é uma toupeira de água. No separador “Mediateca”, a apresentação é feita por uma personagem que parece feminina. Algumas narrações são feitas por uma voz masculina.
Não há conteúdos que incentivem à violência.

Prezi

Posted: Janeiro 22, 2012 in Ferramentas

Recentemente “descobri” o Prezi não como ferramenta para criar e apresentar informação em público, mas como veículo de um boletim eletrónico.

Visualmente é uma ferramenta muito atrativa. Apesar das limitações, sobretudo quando se trabalha com um rato “Multi-Touch” da Apple que provoca constantes “zoom in/zoom out”, o Prezi possibilita efeitos gráficos e verdadeiras apresentações multimédia que funcionam, sem necessidade de ficheiros apensos.

Vale a pena testar e experimentar.

Declaração de Salamanca

Posted: Novembro 14, 2011 in Educação Especial

Porque a Educação Especial e a tecnologia podem caminhar lado a lado, neste espaço irá surgir informação sobre esta área.

O que é a declaração de Salamanca
Declaração “sobre princípios, política e práticas na área das necessidades educativas especiais” , dimanada da Conferência Mundial sobre Necessidades Educativas Especiais, que teve lugar em Salamanca, em 1994. Esta conferência foi uma organização conjunta entre o Governo Espanhol e a UNESCO, tendo a participação de um grande conjunto de pessoas com trabalho e responsabilidades políticas na área da educação, bem como representantes de diversas organizações internacionais.

Globalmente, a declaração pretende realçar as seguintes ideias:
– a escola para todos só é verdadeiramente inclusiva se for capaz de responder às necessidades próprias dos seus alunos;
– de modo a promover a integração de alunos com necessidades educativas especiais em escolas regulares é necessário reforçar as políticas educativas e de organização escolar;
– é importante que o processo educativo de crianças e jovens com NEE (Necessidades Educativas Especiais) tenha o contributo e envolvimento dos pais, das comunidades educativas e das organizações de pessoas com deficiência;
– a intervenção precoce é fundamental na definição de um melhor acompanhamento de crianças e jovens com necessidades especiais;
– os profissionais da educação, na sua formação inicial e ao longo da vida, devem ter acesso a formação para trabalhar com alunos com caraterísticas especiais;
– a integração de professores e outros profissionais com deficiência na escola pode servir de estímulo e modelo positivo para os alunos com NEE.

Escola inclusiva
A escola inclusiva, em cooperação com a comunidade onde se insere, deve possibilitar aos alunos:
– aprendizagens em conjunto, sempre que possível, sem restrições relativas às dificuldades e diferenças entre eles;
– vários estilos de ensino adaptado aos ritmos de aprendizagem;
– currículos e estratégias pedagógicas adequadas às diversas problemáticas e características;
– boa organização escolar;
– utilização de recursos físicos, didáticos e tecnológicos adequados.

Assim, estas escolas proporcionarão:
– uma educação adequada à maior parte das crianças;
– eficiência económica, com boa relação custo-qualidade.

Além disso, constituem-se como as instituições “mais capazes de combater as atitudes discriminatórias, criando comunidades abertas e solidárias, construindo uma sociedade inclusiva e atingindo a educação para todos”.

As verdadeiras escolas inclusivas dão resposta a todas as crianças, “independentemente das suas condições físicas, sociais, linguísticas ou outras”. Deste modo, terão de incluir crianças com:
– deficiência;
– sobredotadas;
– crianças da rua;
– crianças que trabalham;
– crianças de populações remotas ou nómadas;
– crianças de minorias linguísticas, étnicas ou culturais;
– crianças de áreas ou grupos desfavorecidos ou marginais.

Educação precoce e colaboração dos pais
A educação precoce (até aos 6 anos de idade) de crianças com necessidades educativas especiais foi reconhecida como forma essencial de as acompanhar desde cedo. Assim:
– os programas de educação precoce deverão promover o desenvolvimento físico, intelectual e social, preparando para a entrada na escola;
– as ações, desenvolvidas em jardins de infância e creches, podem impedir que algumas condições incapacitantes se agravem;
– a interligação com instituições de saúde pode, em alguns casos, ser importante para suprimir necessidades a este nível.

A colaboração dos pais e uma atitude positiva na educação da criança com NEE favorecerá a sua integração social e escolar. Deste modo:
– os professores deverão valorizar a ação dos progenitores, prestando-lhes toda a informação e esclarecimentos de forma simples e clara;
– os professores deverão ver nos pais parceiros privilegiados, que devem poder optar quanto ao tipo de trabalho que é feito com os seus filhos;
– pais, professores e autoridades escolares devem trabalhar em cooperação, favorecendo a intervenção dos primeiros nas atividades educativas na escola e em casa, bem como na definição e implementação dos programas;
– a ação política deve favorecer a criação de legislação esclarecedora de direitos e deveres dos pais, promovendo ainda a cooperação entre estes e a escola.

Comportamentos nas redes sociais

Posted: Outubro 21, 2011 in Uncategorized
Etiquetas:

Apesar da publicidade, é um vídeo bem ilustrativo do tipo de comportamentos seguros e inseguros aquando da navegação na internet, particularmente nas redes sociais.